domingo, 17 de novembro de 2019

NECRÓPOLE de MARVYN CASTILHO BRAVO

NECRÓPOLE

Jardim de lufadas álgidas,
Ingente padecer de flores langues,
Regadas com eflúvios de saudades,
Debalde, rememorar das lembranças.

Em musgo e gris epitáfios.
Alvitre da feral poeira do tempo.
No epílogo da desventura e lamento,
Vozes veladas em silêncios.

Olor mefítico a errar,
Estofo carnal, em seu atro findar,
No rebotalho da existência...

Olvidado no tetro esquife a esmaecer,
Sonho do ulterior a fenecer,
Dorido adeus que a morte silencia.

MARVYN CASTILHO BRAVO
Cadeira n.67. LÚGUBRE 

Em II de novembro de MMXIX. E. V.
Dies saturni.

Nenhum comentário:

Postar um comentário